pintura

segunda-feira, agosto 31, 2009

de costas para o espelho (cena íntima)


Na Galeria ARC 16 em Faro,
a partir de 3 de outubro de 2009

1 comentário:

Rocha de Sousa disse...

A sua pintura faz-me sempre lembrar
os mitos da dor, uma espécie de desno castigo, como em Sísifo ou Prometeu, para não falar da urdidura permanente de Penélope, algo que se faz e desfaz na espera de alguèm e para afastar os assediadores.
O destino tocou-a (ou Deus) e a sua
dor (mesmo que a não sinta) vem pelo «expressionismo romântico» marcar cada peça que faz. Esta figura petrificando-se será assim, um dia, transforada em perda,
grandiosa mesmo na morte.