pintura

sexta-feira, janeiro 17, 2014

O MOTIM na CASA DO INFANTE ||| as obras






sentença da alçada


no name


no name



no name



condenados

pormenor

cristo para o altar de todos os espantos

condenado 2

pormenor


condenado 1



painel de "morte da Estrelada"



monólogo urgente da memória
esboço para todas as preces
morte da Estrelada







A cidade, também ela condenada,
 suportou pesadas penas que se
traduziram em largos meses de sofrimento,
 uma vez que, para que ficasse de exemplo a todos os que ousassem opor-se à vontade de Sebastião José deCarvalho e Melo,

foi ordenado que se expusessem as cabeças decepadas e os corpos esquartejados dos enforcados por toda a cidade, mas, muito principalmente, nas ruas onde se julgava ter tido início o “motim”.

Algum tempo depois, e por questões de saúde pública, transferiram-se os mastros para as entradas da cidade onde ficariam durante todo o inverno. Também durante cinco longos meses a população mais desfavorecida teve de dar aboletamento a cerca de 2.300 homens dos batalhões deslocados para a cidade, com todos
os prejuízos que daí advinham…(…)
in Do “real” ao “ficcional”: O motim de Miguel Franco
From “real” to the “fictional”: O motim by Miguel Franco
Graça Maria Teixeira doutourada em línguas pela Universidade Aberta/ Lisboa


prisioneiro



carrasco


o motim ( instalação) em colaboração com Pinto Pereira






A exposição estará presente até 23 de fevereiro de 2014 na CASA DO INFANTE .PORTO

Sem comentários: