pintura

quinta-feira, agosto 30, 2007





Poema para a Eternidade
sobre a obra de Brancusi


Não!
Nos limites do tempo
Já tudo tinha acabado


E
Para lá do tempo
Ainda havia

Um Mar imenso de trevas
Um Céu imenso de estrelas
Um Rosto imenso de olhar

Nos limites do tempo
Infinito inacabado!

Não há tempo
Nem lugar algum
Onde não possamos chegar…


Maria João Franco

2006

Sem comentários: